10 coisas que você deve se perguntar antes de pedir demissão

Chegou à conclusão de que não está mais feliz no emprego? Talvez seja melhor se questionar sobre esses 10 pontos antes de sair para não se arrepender mais tarde

créditos: gazeta do povo

Pedir demissão pode até parecer loucura para muitos profissionais, mas pode ser uma decisão benéfica para a sua carreira, desde que seja pensada com seriedade.

Mesmo que você não tenha conseguido outro emprego, pode aproveitar o período de desemprego para se dedicar totalmente à busca por uma nova vaga – coisa que muitos profissionais que querem sair do trabalho não conseguem. Às vezes, a alta demanda e a pressão são justamente os fatores que os levam a tomar essa decisão.

Outros motivos que fazem com que os funcionários peçam as contas são as difíceis relações interpessoais, muitas delas com o próprio chefe. Ou então, a necessidade de aprender mais ou o interesse por um salário melhor.

Seja qual for o seu motivo, deve ter certeza de que a decisão é realmente necessária. Veja o que você deve se perguntar antes de pedir as contas:

1- Quais são os seus motivos?

Identificar o que está incomodando pode parecer tarefa fácil, mas nem sempre é. Alguns profissionais ficam insatisfeitos de forma geral e, depois de refletir com calma, percebem que seus motivos eram superficiais e acabam se arrependendo de pedir demissão.

2- Você está preparado para o mercado?

Um dos principais erros na hora de enviar currículo é dispará-lo para todos os lados, até as oportunidades que menos tem a ver com as suas qualificações.

Se isso acontecer, pode ser que, por mais que consiga uma contratação em outra empresa, acabe demitido ainda no período de experiência.

Caso não tenha sido chamado para nenhuma vaga, a reflexão deve ser ainda maior: será que não é melhor se qualificar para o mercado enquanto pode arcar financeiramente com isso e, só depois, pedir as contas?

3- Consegue ver além do que enxerga agora?

Decisões precipitadas podem ser tomadas quando você vive uma fase ruim. A questão é que fases ruins acabam, e você pode perceber tarde demais.

Quando achar que a grama do vizinho está bem mais verde, procure lembrar de tudo o que já conquistou e ainda pode conquistar. Se esse exercício não surtir efeito, talvez seja a hora de sair.

4- A sua saída tem a ver com o seu ego?

É fato que ambientes tóxicos são impossíveis de se trabalhar por muito tempo e, nesse caso, é plausível pedir demissão.

Mas, se você se sentiu ofendido por um feedback negativo ou uma avaliação de desempenho em que não foi tão bem, saiba que pedir demissão não vai resolver isso.

Pelo contrário, o problema vai persistir onde quer que você vá. O melhor é se dedicar para cumprir as expectativas e elevar o seu desempenho profissional com as lições aprendidas – ainda em seu emprego.

Lembre-se: se os seus patrões não confiassem em sua capacidade, já teriam te demitido.

5- Eu já aprendi tudo mesmo?

Talvez você esteja saturado da sua função atual, mas uma conversa com o seu superior pode resolver isso. Mudar de departamento, adquirir novas atribuições ou trabalhar com o cumprimento de metas podem ser desafios que animem o seu trabalho.

 

Se você já achou um novo trabalho…

 

6- Você confia em seu novo empregador?

Na procura por uma nova oportunidade, você pode achar que qualquer vaga será melhor do que a sua situação atual. Mas será mesmo?

Pesquise sobre como é trabalhar na empresa em que deseja realizar a transição para não trocar seis por meia dúzia (ou menos). Avalie pontos como, cultura da organização, credibilidade, dentre outros fatores que considera importante.

7- Está indo só pelo salário?

Você já deve ter ouvido falar que dinheiro não compra felicidade, certo? Se você gosta do seu trabalho e recebeu uma oportunidade de remuneração maior, converse com seus superiores e tente negociar um aumento.

 

Se você ainda não tem nada em vista…

 

8- O convívio está tão insuportável assim?

Muitos problemas no ambiente de trabalho podem ser resolvidos se a comunicação for viabilizada. Se tem problemas com a equipe, tente uma conversa franca e esteja preparado para fazer e ouvir críticas.

9- Já conversei com meu chefe?

Quando o atrito é com o chefe, o problema é ainda mais complicado porque a gravidade da situação é maior. Alguns superiores simplesmente não aceitam julgamentos e não tem inteligência emocional para liderar uma equipe, embora desempenhem bem seu trabalho.

Mas é possível que um feedback de seus funcionários o ajude a identificar situações em que estava sendo incoerente. Todos nós precisamos de uma avaliação de desempenho para nos desenvolvermos, e com os chefes isso não é diferente.

Se você já chegou ao ponto de pensar em sair do emprego, vale arriscar a honestidade com o chefe e, com respeito, apontar as fraquezas da relação entre ele e a equipe.

10- Você tem como se manter desempregado?

Muitas vezes, quem pede demissão sem ter algo em vista tomou a decisão meses antes de finalmente pedir as contas. Guardou dinheiro e se programou para o momento do desemprego, para focar todas as forças em uma nova oportunidade sem estresse ou ansiedade.

Esperamos que após a leitura deste artigo você tenha tomado a sua decisão, seja ela qual for! Tem dúvidas? Deixe seu comentário 

Fonte: Carreiras

Pular para a barra de ferramentas